O dono de um supermercado ateou fogo em seu próprio estabelecimento para "acabar com o coronavírus e proteger os clientes". O proprietário foi identificado como Edward Mason, de 57 anos. O incidente ocorreu em em Bruce Rock, a 240 quilômetros de Perth (Austrália), no mês de março, mas só agora, na primeira audiência é que o caso ganhou os noticiários. "Pensa numa larica", afirma Gusttavo Lima ao revelar que fumou maconha Segundo Mason, ele ficou obcecado após clientes manifestarem preocupações com a higiene no seu estabelecimento. A preocupação dele aumentou mais ainda, após ver clientes comprando grande quantidade de álcool em gel e papel higiênico.De acordo com o advogado de Edward, Ricahrd Lawson, o dono do supermercado resolveu por conta própria "erradicar o coronavírus", após receber várias caixas com produtos originários da China, o foco inicial da pandemia.Drone é apreendido ao sobrevoar presídio com celulares e drogas Mas, no tribunal, o proprietário do estabelecimento confessou ter fumado oito cachimbos de maconha antes de pôr fogo no supermercado. O prejuízo, segundo a ABC News, foi de cerca de R$ 3,8 milhões.Edward foi condenado a 1 ano e 4 meses de prisão, mas o juiz do caso determinou a suspensão da sentença pelo fato dele não ter antecedentes criminais e estar muito abalado com a pandemia, determinou o juiz do caso.

Após tomar medicação contra depressão, Edward apresentou melhora no seu quadro de saúde mental.

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS