Pesquisadores do Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH), do México, encontraram ruínas arqueológicas do ano 500 d.C. em Cerro de la Peña, no estado de Puebla, naquele país. Entre os achados, destacam-se duas grandes torres e pedras com a imagem gravada de um "deus do inferno". Especialistas acreditam que trata-se de um centro cerimonial onde essa divindade era venerada em um altar.Palácio do 'Rei Ezequias' é encontrado em Jerusalém

Ainda segundo os pesquisadores, a gravura retrata uma pessoa com chifres, garras e usando uma tanga. O sítio arqueológico onde foram feitas as descobertas é de difícil acesso. Ele se encontra a 1845 metros de altura acima do nível do mar, sendo assim necessário escalá-lo ou caminhar por um trajeto rochoso.Cientistas descobrem que múmias egípcias não são humanas

“Quando chegamos ao topo, podemos observar a área cerimonial, ou seja, onde estavam localizados os templos e palácios de governantes”, explicou Arellanes.Veja!Descubrieron un altar al dios del Inframundo de hace 1,500 años en un recóndito cerro mexicano https://t.co/RXe340rOUS pic.twitter.com/0yKuKETkzH— infobae (@infobae) July 21, 2020 Os antropólogos conseguiram identificar imagens talhadas em muros e pisos que mostrariam o estilo de vida das culturas teotihuacana e zapoteca, indicando que esses povos habitavam a região. No local também existem sete pirâmides.

Reprodução Twitter

Apesar dos danos que as ruínas sofreram com o passar do tempo e as variações climáticas, alguns indícios ainda permanecem intactos, como os 87 sinais gravados ou pintados na infraestrutura. Agora, os pesquisadores irão prosseguir a exploração do sítio para tentar descobrir mais a respeito dos antigos povos pré-colombianos que viviam lá.

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS