Agora é

oficial. Os bares de Belém voltaram a funcionar, na noite de ontem (17), embora

alguns já estivessem atendendo clientes há tempos, de carona com a permissão

antes concedida apenas aos restaurantes, sob o disfarce “bar e restaurante” nas

placas das fachadas e sem fiscalização, por meio do decreto municipal que

estabelece a retomada das atividades econômicas da capital paraense. Entre

bares que respeitaram a capacidade dos 70% da ocupação permitida e o limite de

quatro pessoas por mesa e os que desrespeitaram as normas de proteção contra o

coronavírus completamente, a primeira noite de funcionamento foi intensa nesses

estabelecimentos.

Em ronda

pela cidade, a equipe do DIÁRIO fez o registro de um bar na avenida Conselheiro

Furtado, esquina com a travessa 3 de maio, onde a quantidade de clientes estava

controlada, para a alegria de quem compareceu ao local. “Tão bom vir num

barzinho, estava com saudade disso. O resto é com a gente saber se cuidar do

vírus”, disse Paulo Rangel, 38 anos, engenheiro.

Em outro

bar, localizado na travessa 3 de maio, quase esquina com a avenida Gentil

Bittencourt, as medidas também foram respeitadas, inclusive, com a exibição de

artistas no palco, que foram limitados a apenas três, segundo determinação do

decreto municipal. “Os bares de volta, exibição musical, a companha de amigos e

tudo seguindo as normas de prevenção à Covid-19”, comemorou Izabella Lima, 31,

fisioterapeuta.

FISCALIZAÇÃO

Entretanto,

foi possível encontrar bares que ignoraram as regras de distanciamento social,

sobretudo a limitação da capacidade de clientes. No estabelecimento localizado

na rua Diogo Moia, esquina com a Dom Romualdo Coelho, os clientes ocupavam a

rua, mas eram atendidos pelos garçons do próprio bar.

Em relação

aos estabelecimentos, a Prefeitura Municipal de Belém informou que realiza

fiscalizações diuturnamente, orientando, notificando e, quando necessário,

aplicando multa às pessoas físicas e jurídicas que descumprem as diretrizes dos

decretos municipais de flexibilização das atividades. Fazem parte do Comitê, a

Ordem Pública, Guarda Municipal de Belém (GMB), Superintendência Executiva de

Mobilidade Urbana (SeMOB) e as Secretarias Municipais de Saneamento, Economia e

Vigilância Sanitária.

Foto: Antônio Melo/Diário do Pará

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS