Uma jovem, de 22 anos, foi condenada a dois anos de prisão após ser acusada de decepar a própria mão para receber o dinheiro de apólices de seguro. O valor somava US$ 1,3 milhão, equivalente a R$ 6 milhões.

A acusada foi identificada como, Julija Adlesic, na época, foi levada às pressas para um hospital na cidade de Ljubljana, capital da Eslovênia, após supostamente sofrer um acidente doméstico, em 2019. Aos médicos, ela e o namorado contaram que o acidente aconteceu enquanto podava uma árvore.Em julgamento, acusado de matar 'Ricardo Bomba' alega legítima defesa

Contudo, ela chegou ao pronto-socorro sem a mão decepada. Desta forma, o ferimento seria considerado permanente. Porém, a mão foi recuperada e recolocada em Julija pelos profissionais de saúde.

O caso gerou desconfiança e a polícia decidiu investigar o caso. Segundo as autoridades, a jovem e o namorado haviam feito diversas apólices de seguro em 2018. Com isso, os agentes chegaram à conclusão que o acidente foi armado para que Julija ficasse com o valor de R$ 6 milhões. Além disso, ela teria feito pesquisa na internet relacionada a “mãos protéticas”.Brasileira atropela garota inglesa e fica impedida de voltar ao Brasil

No julgamento foi constatado que o pai da jovem também estava envolvido no suposto “acidente”. Julija negou as acusações, afirmando que ninguém de sua idade gostaria de ficar sem uma mão.

“Ninguém quer ser aleijado. Minha juventude foi destruída, perdi minha mão aos 22 anos”, disse ela. O pai da jovem foi condenado a 1 ano de prisão e o namorado dela, a 3 anos.ASSISTA AS CENAS DO JULGAMENTO DA JOVEM!

Em 2019, a mulher foi levada ao pronto-socorro após sofrer "um acidente doméstico". Mas levou 1 ano para a polícia descobrir a verdade. Foto: Reprodução

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS