Mais de 3 milhões de brasileiros ainda não sacaram o abono Pis/Pasep. O dinheiro pode ajudar a enfrentar a fase ruim vivida nesse momento de pandemia, já que o valor pode chegar a um salário mínimo.

Quem tem direito ao abono?

Quem trabalhou com carteira assinada ou como funcionário de órgão público em 2019 ou antes disso e ainda não realizou o saque dos valores. O trabalhador tem até 30 de junho para fazer a retirada do dinheiro na Caixa Econômica ou Banco do Brasil.

O valor máximo a ser pago é de R$ 1.100, para quem trabalhou com registro ao longo de todo o ano-base. O menor pagamento previsto é de R$ 92, para aqueles que trabalharam por apenas um mês dentro desse período.

Como sacar?

Para conferir o valor que você vai receber e fazer a solicitação dos valores, é preciso encontrar o NIS (Número de Identificação Social) ou o NIT (Número de Identificação do Trabalhador) na carteira de trabalho ou no extrato do FGTS. É por meio desse número que pode ser solicitado também à Caixa, para quem tem registro em carteira, ou ao Banco do Brasil, para quem trabalha em órgãos públicos.

Outra forma é pelo número do PIS/Pasep é acessando o site do Cnis.

O PIS, para trabalhadores registrados em carteira, pode ser acessado e solicitado através do aplicativo Caixa Trabalhador no celular ou pelo site. É possível também solicitar atendimento gratuito pelo telefone 0800 726 0207.

O dinheiro será transferido para a conta da Caixa Econômica em nome do beneficiário e pode ser movimentado normalmente pelo cartão do banco. Quem não possuir conta corrente na Caixa, é possível solicitar que o dinheiro seja transferido para a conta digital do aplicativo Caixa Tem.

Para o servidor público, o benefício pode ser acessado no site, pelo telefone 0800 729 0722 ou na agência do Banco do Brasil, via atendimento pessoal ou no caixa eletrônico.

Valores parados

Segundo a Caixa Econômica, pelo menos 887 mil brasileiros não realizaram o saque do PIS referente ao ano de 2019. O valor chega a R$ 625 milhões. Quanto aos anos anteriores, de 2018 para trás, aproximadamente 1,9 milhão de brasileiros não fizeram o resgate do abono. O valor não retirado está em R$ 1,2 bilhão.

O abono de 2019 para trabalhadores de órgãos públicos, o Pasep, está disponível para 208 mil pessoas, que se somado, de acordo com o Banco do Brasil, chega a R$ 96 milhões. Há ainda R$ 295 milhões represados do período anterior, não recolhidos por 367 mil beneficiários.

Mudanças em 2022  

De acordo com o Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), a partir do ano que vem, o pagamento do abono acontecerá será no primeiro semestre.

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS