Matematicamente, a equipe que deseja avançar de fase na Série C do Campeonato Brasileiro precisa chegar, no mínimo, aos 30 pontos. Quatro vitórias separam, dessa maneira, o Clube do Remo da pontuação mínima até o objetivo inédito de classificação, desde que voltou a disputar a Terceira Divisão. Atualmente, o Leão Azul soma 19 pontos em 11 jogos. Contra o Imperatriz-MA, neste sábado (24), 19h, no Mangueirão, a equipe terá a chance de encurtar o seu caminho em tal somatória em caso de vitória, algo vital nessa fase da competição, visto que o adversário desta rodada trata-se do lanterna e dono da pior campanha geral do certame.

Confiantes, os jogadores estão dispostos a realizar uma partida impecável, já que os “azarões” costumam engrossar para o lado azulino nos gramados. O próprio time maranhense é um deles, ao ter arrancado o seu único ponto na competição justamente frente ao Mais Querido. Desse modo, o zagueiro Rafael Jansen deu o papo sobre os cuidados para este embate. “É um jogo difícil como qualquer outro. Não podemos menosprezar a equipe do Imperatriz. Isso é uma situação que engana muito”, disse. “Já fomos surpreendidos nesse tipo de questão e não queremos ser surpreendidos mais uma vez”, reforçou.

Sobre a perspectiva de seguir adiante na competição, independentemente do resultado adverso contra o Ferroviário na rodada passada (1 a 0), Jansen reiterou otimismo e determinação do grupo. Para não repetir os erros da temporada passada, o atleta até projetou um cálculo para que, desta vez, o time não bata na trave. “Ano passado fizemos 27 pontos e ficamos fora, nesse ano temos que fazer de 28 a 29 para ficarmos ao menos em quarto. Mas claro que sempre queremos ficar em primeiro”, raciona.

Mesmo com a projeção, o zagueiro mira um passo de cada vez. “Eu particularmente prefiro pensar no Imperatriz-MA, até porque é a próxima partida. Vamos pensar jogo a jogo. Cada partida é uma final e contra o Imperatriz é a mais importante até o momento”, previne.

MANTO DO REI

O Clube do Remo levou a público a sua primeira peça de marca própria, na noite da última segunda-feira (19). Após a seleção final com cinco modelos em um concurso que reuniu mais de 200 inscrições e desenhos enviados pela torcida, o torcedor Adriano Luiz Galvão Dickson foi contemplado ao ter visto a sua arte ter sido escolhida com mais de quatro mil votos. O ‘Manto do Rei’, da marca ‘Rei’, estará em breve em comercialização. Para o torcedor, poder ajudar a agremiação nesse processo é uma honra. “A ideia deste manto é trazer, através de um design moderno e minimalista, parte da memória do Clube do Remo”, comentou.

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS