As batidas marcantes de brega e suas mais variadas vertentes integram o repertório da cantora Keila, que se apresenta hoje em uma live muito especial, intitulada “Laje Solidária”. Direto da própria laje, a artista comanda a noite no bairro mais populoso de Belém, o Guamá, onde mora. O encontro virtual começa às 19h e será pelo canal no YouTube Keila Music. As doações arrecadadas serão destinadas às famílias do Guamá.

O que não vão faltar são bregas, de todos os estilos e para todos os gostos, diz a diva. “Eu sempre coloco muitas outras coisas, além de brega e tecnobrega, mas essa live vai ter muitas vertentes de brega. Além de sons do meu disco, vou fazer uma sequência de músicas da Gang do Eletro e músicas que fizeram sucesso nos anos de 2010, no início do chamado ‘batidão’, tecnobrega, melody, vai ter sequência de Fruto Sensual, bregas do passado, para todos os gostos”, adianta a cantora.

A laje de Keila já é conhecida do público porque é dali que a cantora tem apresentado seus shows transmitidos na web. “É muito importante estar envolvida com a causa da comunidade onde eu moro. Além da questão da pandemia, que tem afetado muito as pessoas, o Guamá é um bairro onde rola muito incêndio nas palafitas, muito alagamento. Então sempre tem muitas famílias numerosas e tem muita gente que precisa de ajuda aqui”, lembra a cantora.

Ela diz que sempre esteve engajada nos assuntos do Guamá, que é de onde vem seu grande apoio. “Como sou uma menina que cresci na periferia, tenho uma relação emocional com o bairro. As pessoas me apoiam bastante aqui e eu quero, muito além de ajudar, ser exemplo - de alguém que está acontecendo, tendo sucesso, dando certo - para as crianças que estão construindo um sonho, mas que vivem nessa realidade. É bem difícil a gente se vislumbrar em uma abertura dos jogos olímpicos, ou fazendo uma turnê pela Europa, quando vem dessa realidade aqui da periferia, passando por dificuldades no dia a dia, como a violência e coisas afins”, considera.

Por outro lado, Keila conta que “o bairro do Guamá é feito de um povo muito alegre, festeiro, populoso”. Ela reforça a atenção de que o local exige. “Eu sempre achei que ele precisava muito mais dessa atenção, dessa fala, tanto quanto o Jurunas e a Terra Firme, que são outros bairros interligados. O Guamá tem uma história linda também”, afirma.

Durante a live poderão ser feitas contribuições financeiras através do QR CODE que estará disponível ao longo da apresentação, bem como cestas básicas, kits de higiene pessoal (sabão, sabonete, papel higiênico, pasta de dente etc.)m, e ainda produtos de prevenção como máscaras, luvas e álcool em gel.

Cantora mantém a energia aos seis meses de gestação

Com 24 semanas de gestação, à espera de Joaquim, seu terceiro filho, Keila conta que é, ao mesmo tempo, um desafio ser mãe e gestora da própria carreira artística. O segredo, sugere, é o bom humor. “É difícil falar sobre isso porque nem eu sei explicar direito como consigo lidar [com a maternidade e a carreira] (risos). Eu sempre dou essa resposta porque é algo assim muito do dia a dia. Estou aqui brincando com a minha filha e, ao mesmo tempo, com o celular na outra mão resolvendo tudo, porque eu não sou o tipo de artista que trabalha só na hora do palco, eu trabalho muito pelo ‘backstage’, em toda a produção, tudo passa por mim, desde aprovar alguma coisa a parte burocrática. Eu entro em contato com patrocinadores também, então, eu faço todo trabalho de produção em conjunto com o Clécio, meu marido, que também é meu DJ”, começa.

"Cresci na periferia, tenho uma relação emocional com o bairro. Além de ajudar, quero muito ser exemplo”, Keila, cantora

Reprodução/Instagram

A gravidez não mudou muito a agitação da rotina. “Graças a Deus, estou superbem, bem saudável, meus exames estão todos lindos, tudo ótimo, então, estou superativa, e de boa. Eu sempre gostei de dançar e na gravidez nunca foi diferente. Sempre estive no palco até os nove meses, claro, maneirando um pouquinho mais (risos), mas a gente vai levando”, completa.

Com o terceiro trimestre da gravidez, a cantora diz que as lives deverão ser reformuladas. “Sempre fui acostumada a dançar e a fazer exercícios na gravidez. O lance dos shows me cansa como me cansaria em outros shows, porque sou do tipo que não consegue ficar parada. Quando estiver mais próximo do parto, tenho projetos e ideias de lives regadas a bregas mais do passado, que a galera me pede muito e aí é algo mais calmo, mais tranquilo, que daria até para cantar sentada, mesmo sem saber se eu conseguiria ficar quieta (risos)”.

Mas para a cantora, o chamado “novo normal” tende a trazer mudanças no setor cultural e também dar continuidade a projetos iniciados na quarentena, como as lives. “Esse lance das lives vai prosperar. Vai continuar cada vez mais com novas produções mais lá em cima”, avalia.

ACOMPANHE

Laje Solidária - Live de Keila

Quando: Hoje, às 19h

Onde: No YouTube, canal Keila Music

Doações: Durante a live, haverá link para doações com QR Code. Quem desejar doar alimentos e produtos de higiene e proteção, pode ligar para (91) 99299-5599

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS