Em mais uma

denúncia ao programa The Ellen Degeneres Show, a ex-produtora Hedda Muskat

afirmou ao portal The Wrap que notou uma "cultura do medo" desde o

início do desenvolvimento do programa, em 2003. "Eu nunca tinha visto isso

antes", disse ela. "Nunca tinha estado perto de um hospedeiro

tóxico."

Muskat

afirmou que o produtor executivo Ed Glavin também contribuiu para a

negatividade no escritório, lembrando um incidente em que ele supostamente

gritou com um membro da equipe em uma reunião.

No final de

seus 12 meses de trabalho no programa, Muskat alegou que havia sido deixada de

lado e com menos responsabilidades. Ela foi dispensada em maio de 2004, apenas

alguns dias antes de ganhar seu primeiro Emmy.

Após

acusações de racismo e preconceito contra membros do programa Ellen DeGeneres

Show, especula-se que Ellen DeGeneres deixará a atração e que o programa de

entrevistas chegará ao fim. A informação é negada pelos produtores executivos

do programa que, em e-mail interno obtido pelo New York Post, informam que ela

voltará ao trabalho em agosto.

Ainda de

acordo com a mensagem, apesar da carreira de DeGeneres estar passando por uma

crise devido as denúncias, ela não tem intenção de se afastar dos programas dos

quais está a frente. A norte-americana planeja se apresentar no dia 24 de

agosto para o "Ellen's Game of Games" e no set do "Ellen

Show", com estreia prevista para 9 de setembro.

A polêmica

teve início quando o site BuzzFeed ouviu relatos de dez ex-funcionários e um

atual -que pediram para permanecer no anonimato- e praticamente todos alegaram

que o ambiente de trabalho no programa de Ellen DeGeneres é 'tóxico'. Eles

também disseram que passaram por situações de racismo, medo e intimidação

enquanto trabalhavam para a atração.

Apesar de

DeGeneres não ter seu nome envolvido em nenhuma das acusações -os ex-membros da

equipe culpam os produtores executivos e gerentes -ela foi criticada por não

saber o que realmente acontece nos bastidores de seu programa.

O jogador de

polo Nachos Figueras foi uma das personalidade a se pronunciar sobre as

recentes acusações de bullying e preconceito no set do programa. "Nós

amamos Ellen, certo?", publicou ele em seu Instagram Stories, marcando os

perfis de Jennifer Aniston, Jennifer Lopez, Michelle Obama, Pink, Sean Hayes,

Lady Gaga, Katy Perry, Justin Timberlake "e quem mais deveria estar nesta

lista, que é muito longa."

"Tive

muita sorte de participar desse programa muitas vezes e posso dizer que é uma

máquina muito bem gerida, todos foram super legais, não apenas comigo, mas

também entre si e com todos os envolvidos", escreveu ele.

Antes dele,

o empresário Scooter Braun e a DJ Samantha Ronson saíram em defesa de Degeneres

via Twitter. A esposa da apresentadora, Portia de Rossi, ainda compartilhou uma

foto que dizia "eu apoio Ellen", pedindo o fim dos ataques.

Logo depois,

Katy Perry se pronunciou. A cantora foi ao Twitter nesta terça-feira (4) para

elogiar a "luta contínua pela igualdade" de Degeneres, e insistiu que

ela "apenas ouviu elogios positivos do meu tempo com Ellen e no

programa".

"Não

posso falar pela experiência de ninguém além da minha, mas quero reconhecer que

só tive sugestões positivas do meu tempo com Ellen e no The Ellen Degeneres

Show", afirmou Perry, que foi entrevistada diversas vezes por sua amiga no

programa.

Ellen e Katy: "só tive sugestões positivas do meu tempo com Ellen e no The Ellen Degeneres Show" Foto: Reprodução

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS