Daisy Coleman, que apareceu no documentário da Netflix “Audrie and Daisy”, morreu aos 23 anos.A mãe dela, Melinda Coleman, informou que a filha tirou a própria vida na noite de terça-feira (4), de acordo com o TMZ.O corpo de Daisy foi encontrado depois que Melinda pediu à polícia para fazer uma verificação."Ela era minha melhor amiga e uma filha incrível. Acho que ela teve que fazer parecer que eu poderia viver sem ela. Não posso. Eu gostaria de ter tirado a dor dela!", disse a mãe.Veja mais:Mortos em explosão no Líbano passa de 100; há 4.000 feridos Disney decide lançar 'Mulan' direto no streaming

Getty Images for the World Childhood Foundation

Daisy ganhou destaque em 2016 após participar do documentário da Netflix “Audrie and Daisy”, que abordou supostos casos de estupro.A produção conta a história de como, em janeiro de 2012, Daisy foi estuprada aos 14 anos em uma festa em casa, depois de consumir álcool. Ninguém nunca foi condenado pelo crime.No documentário, os espectadores assistiram como Daisy, sua família e amigos lidaram com as consequências, que incluíram a rejeição pela comunidade local.Melinda disse que Daisy "nunca se recuperou" do que havia acontecido.

Getty Images for the World Childhood Foundation

Após o estupro, Daisy foi co-fundadora da SafeBAE, uma organização com a missão de acabar com as agressões sexuais entre estudantes do colegial, além de ajudar as vítimas.O SafeBAE anunciou que está “arrasado” com a morte de Daisy e "sofreu uma perda insubstituível".Se você estiver precisando de apoio psicológico, pode ligar gratuitamente para o CVV, através do 188, ou entrar no site: https://www.cvv.org.br/ligue-188/

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS